Na 1ª Divisão, o Atlético de Paranavaí pode se orgulhar de ter conquistado o vice-campeonato em 2003 (perdeu apenas o jogo final, contra o Coritiba) e o título em 2007, marcando história no Campeonato Paranaense ao colocar seu nome entre os detentores de conquista na elite.
Mas a história do time de Paranavaí sempre foi marcada por rebaixamentos à segunda divisão, onde detém títulos de campeão. No passado foi um vai-e-vem entre a elite e a segundona. E depois do seu título máximo em 2007, o Vermelhinho está sempre em busca de uma vaga entre os principais times do Paraná.
Neste domingo, é dada largada a outra saga na segundona, com o time estreando em casa, contra o Batel, de Guarapuava (16h30). E na quarta-feira à tarde, volta a jogar no Estádio Waldemiro Wagner, contra Rolândia (também com início às 16h30).
A primeira fase é de tiro curto, então, cabe o time de Paranavaí se valer do mando dos dois primeiros jogos em casa para ter tranquilidade no restante da tabela.
São 10 times, que jogam entre si, em turno único, nesta primeira fase. Os oito primeiros vão para a segunda fase. Os dois últimos, caem para a 3ª Divisão. Cair para a 3ª Divisão não está cogitado pelos torcedores do Vermelhinho.
O time de Paranavaí enfrenta problemas administrativos há algum tempo e há dois anos tem uma empresa como parceira. Em 2017, o Vermelhinho esteve a uma vitória de retornar à elite, mas sucumbiu, tropeçando nas próprias pernas, já que era grande favorito a uma das vagas.
Neste ano, a parceria com a empresa continua, e o trabalho de bastidores apresentou problemas. A comissão técnica cobrou melhores condições de trabalho. O técnico Fernando Alcântara, que colocou a “cara para bater”, não quer falar mais sobre o assunto, esperando que as coisas se resolvam nos próximos dias.
E ele terá apenas 15 atletas à disposição para os dois jogos iniciais, ou seja, terá apenas 3 jogadores de linha de opção no banco de reserva – o outro é goleiro.
ATACANTE LÉO – O prata-da-casa Léo, 23 anos, está volta ao Atlético de Paranavaí. Ele defendeu as cores do Vermelhinho em 2013 e 2015 e seu último clube foi o Votuporanguense (Série A-2 do Paulista). O jogador espera ajudar o time a voltar à 1ª Divisão.
“Infelizmente, em 2015 nos quase subimos, e no ano passado novamente ficaram pela estrada. Acredito que com alguns jogadores experientes e outros jovens, o grupo responderá em campo”.
Léo considera importante o time vencer seus dois em casa neste início de campeonato e falou pouco da semana de reivindicações à diretoria. A alimentação melhorou, segundo ele, e outros itens deverão ser atendidos.
ESPERA “APARECER” – Guilherme Costa Macedo, conhecido por Macedo, tem 20 anos, espera se projetar defendendo as cores do Atlético de Paranavaí. Com o Santo André (SP), disputou o Sub-20 naquele Estado.
O atacante vê o Vermelhinho como uma vitrine e quer aproveitar a oportunidade. “O time está se preparando bem”, sintetiza, com os jogadores “assimilando” o ensinando do técnico. Ele participou dos dois jogos-treinos, marcando um gol.
ATL. DE PARANAVAÍ X BATEL
Estádio Waldemiro Wagner, em Paranavaí
Neste domingo, dia 11.
Horário: 16h30
Ingresso: R$ 10 na descoberta; R$ 20 na coberta
Arbitragem: André Ricardo Martins. Assistentes: Sidnei Galho Benedito e Marcelo de Oliveira. Delegado: Valdinei Donizete Pereira
Macedo, com 20 anos, espera se projetar na carreira
 Fonte: Jornal Diário do Noroeste