No segundo jogo-treino da temporada, o Atlético Clube Paranavaí enfrenta, neste domingo, no Estádio Waldemiro Wagner, às 16h30, o Clube Atlético Itaúna do Sul. O intuito da comissão técnica é analisar alguns atletas.
O técnico Fernando Alcântara deverá tirar algumas conclusões e ver o aproveitamento que o elenco em formação adquiriu durante os treinos desta semana. Deverá servir para corrigir algumas deficiências apresentadas no jogo-treino do dia 20, quando empatou em 1×1 no WW contra um combinado amador formado por atletas de Paranacity e Cruzeiro do Sul. A equipe de Itaúna do Sul foi campeã amadora de 2017 pela Liga de Loanda.
No Campeonato Paranaense de Futebol da segunda divisão, a equipe estreará no dia 11 de fevereiro em Paranavaí contra o Batel, de Guarapuava.
Um dos atletas apresentados nesta semana foi o centroavante Robson Carneiro Lino, 39 anos, de 1,91m, que estava em 2017 na equipe de Rolim de Moura/RO. Em 2011 o atacante atuou no Maringá.
Robson afirmou ser centroavante de ofício e que suas principais características são: muita vontade, posicionamento dentro da área, cabeceio e finalização.
“Deste elenco não conheço ninguém, muitos da minha época já encerraram a carreira, eu tenho cuidado com a forma física, mas vejo uma galera boa e competente que tem objetivos.”
O técnico Fernando Alcântara foi elogiado por Robson. “Pelos primeiros dias de trabalho, vi muita inteligência e bagagem nele, tem estabelecido coisas novas, embora para mim seja difícil ver coisas novas, pelo longo tempo que tenho nesse ofício chamado futebol. Mas ele tem me surpreendido, e sempre é tempo de se aprender.”
Com respeito ao jogo-treino deste domingo, o atacante analisa como proveitoso, bom para uns e ruim para outros. Para ele, tudo é considerado como trabalho, e tem que levar a sério, pois vê como necessário.
“Nosso objetivo é ficar com uma das vagas à elite paranaense, não estamos aqui para brincar, toda vez que entramos em algo competitivo temos que finalizar o ciclo, não podemos deixar as coisas de qualquer maneira. Uma dessas vagas tem que ser nossa”, finalizou Robson, que já jogou no Atlético Maracaibo (Venezuela), no Japão, na Portuguesa/SP, no Rio Branco de Americana e no Vietnã, entre outras equipes.

Fonte: Jornal Diário do Noroeste