Chapecoense vai ser campeã do Brasileirão

Por que não? Parece um absurdo, mas a Chapecoense tem, sim, chances de ser campeã da Série A do Campeonato Brasileiro. Talvez a chance de rebaixamento seja mais iminente que a de levantar a taça, mas, no futebol, um 10% bem aproveitado pode se tornar 100%. O Leicester está aí para comprovar isso, em um título inglês que está sendo considerado por Gian Oddi (ESPN) como o maior feito da história do futebol mundial. E aí está também o porquê da comparação da Chapecoense com o Leicester: o primeiro tem o 17º investimento do futebol brasileiro (R$ 41 milhões) e o segundo tem o 17º maior investimento da Inglaterra (R$ 247 milhões).
Tudo bem que a diferença da Chape para o Cruzeiro (306 milhões), time que mais gastou no Brasil em 2015, é mais de sete vezes maior, mas não podemos negar que, com um pouco mais de confiança e dedicação, isso pode se tornar possível. A diferença entre o Leicester e o Chelsea, time de maior investimento da Inglaterra (R$ 1,1 bilhão) é de pouco mais de quatro vezes. Ou seja, no Brasil existe menor nivelamento entre as equipes do que no futebol inglês. A probabilidade é ainda menor, mas serve de inspiração. Afinal de contas, a Chape subiu para a Série A em 2013 gastando menos de R$ 10 milhões em toda a temporada, o que é considerado um total absurdo de economia.
Se o Leicester fosse um time brasileiro, teria o quarto maior investimento, conforme dados da Amir Somoggi Consultoria, ficando atrás de Cruzeiro (306 mi), São Paulo (274 mi) e Corinthians (250 mi). Se o Timão, atual campeão brasileiro, disputasse a Premier League, certamente seria candidato ao rebaixamento.

Brasileirão e os pontos corridos
Na prática dos pontos corridos, nenhuma surpresa dentre os campeões. De 2003 para cá, apenas seis times levantaram a taça: Cruzeiro (2003, 2013 e 2014), Santos (2004), Corinthians (2005, 2011 e 2015), São Paulo (2006 a 2008), Flamengo (2009) e Fluminense (2010 e 2012). Somente seis times disputaram as 13 edições em pontos corridos: Cruzeiro, São Paulo, Internacional, Santos, Fluminense e Flamengo. Desses, o Inter é o único que nunca foi campeão desde 2003. E o Corinthians é o único que já foi rebaixado neste período e, mesmo assim, conseguiu ser tricampeão.
Outro detalhe interessante é que poucos times considerados pequenos conseguiram a classificação para a Libertadores. O Goiás, em 2005, foi um dos poucos casos. Liderado pelo então lateral-direito Paulo Baier, o time ficou em terceiro lugar. No ano seguinte, foi a vez do Paraná Clube, comandado por Caio Júnior, ficar em quinto. O problema é que em 2007 o tricolor rebaixou para a Série B e de lá nunca mais saiu. O Coritiba, que viveu altos e baixos nos últimos anos, conseguiu um quinto lugar apenas, e foi na primeira edição, em 2003. O Atlético-PR esteve muito perto de ser a única surpresa entre os campeões dos pontos corridos. Em 2004, com a artilharia de Washington Coração Valente, a equipe foi vice-campeã. O São Caetano foi o quarto colocado em 2004. Em 2013, o Vitória foi o quinto colocado, algo que pode até ser considerado uma surpresa, mas longe de algo como o que o Leicester fez no Campeonato Inglês.

Adolfo Pegoraro é jornalista do Jornal de Beltrão e da Rádio Continental FM.