Ontem foi mais um dia de conversas envolvendo comissão técnica e representantes da Ebenézer Sports, empresa gestora do Atlético de Paranavaí, para solucionar problemas no clube e as reivindicações do elenco.
O advogado esportivo Luiz Marcondes, representante da empresa, disse ao Diário do Noroeste que “as coisas” irão caminhar bem. “A terça foi um dia conturbado, mas ao final da noite as coisas estavam equacionadas”.
No dia anterior, o técnico Fernando Alcântara denunciou falta de condições para o trabalho, tomando a iniciativa de paralisar os treinos, descontente com algumas situações dentro do clube.
“Para a coisa funcionar tem que ter comprometimento, ter responsabilidade, estamos ouvindo os diretores da empresa para ver como as coisas poderão vir a funcionar da forma como foi falada em relação ao projeto Paranavaí”, afirmou o treinador ao Diário do Noroeste, anteontem.
Ontem, os treinos voltaram a ser realizados, na parte da tarde, mas o treinador evitou falar com o Diário do Noroeste. No dia anterior ele foi contundente em suas declarações.
Nesta sexta-feira deve ser feito o pagamento salarial do elenco, informou o advogado Luiz Marcondes. “Ficou o compromisso de equacionarmos os valores do mês de janeiro, resultante do mês trabalhado. Essa promessa foi feita pela empresa e será cumprida”, disse o advogado.
“Nosso compromisso é manter em dia o que foi prometido nos acertos salariais dos funcionários e equacionar o passivo. Implantamos aqui uma gestão de crise, esse problema foi diminuído e alguns resquícios ainda sobraram, mas serão resolvidos. A nossa ideia é que o elenco do Atlético possa pensar em algo bom para estrear na competição e para que tenhamos sucesso na largada”, finalizou o advogado.
A reivindicação do elenco e comissão técnica gira em torno de reforço na alimentação e melhores condições de treinamento, como contratação de uma academia de ginástica e locais para treinos, assim como meio de transporte. Embora não confirmado, o Estádio WW estaria liberado apenas em alguns dias da semana para preservar o gramado.
 
Zagueiro César Augusto lamenta a situação
O zagueiro César Augusto, 31 anos, falou ao Diário do Noroeste sobre os problemas no Atlético de Paranavaí, e lamentou a situação. “A gente fica chateado, viemos para fazer nosso trabalho da melhor forma possível, mas as coisas não estavam acontecendo”. Mas estão tendo conversas com a direção e esperamos que as coisas se resolvam.
Dentre as reivindicações solicitadas, César pontuou algumas consideradas básicas e essenciais para o atleta – alimentação adequada, médico à disposição, uma academia bem aparelhada e locais de treinos. O zagueiro espera que com a manifestação do grupo, feita na terça-feira, “as coisas melhorem”.