A participação do Cresol/Marreco Futsal na Liga Nacional está trazendo muito mais popularidade à equipe de Francisco Beltrão. E uma ferramenta importante para medir essa ascensão é a fanpage oficial no Facebook, que foi criada em 26 de dezembro de 2014 e, um ano depois, tinha apenas 3,7 mil curtidas. De lá para cá, foram “picos de notoriedade” que fizeram ontem a equipe beltronense se tornar o segundo time mais popular do Paraná neste quesito, ficando atrás apenas do Guarapuava (veja o quadro abaixo). Os “picos de notoriedade” que podem ser citados são: entrada na LNF; chegada do OitoMeia (jogador com uma fanpage de 10.780 likes); jogo ao vivo no SporTV; vitória contra o Magnus; e a inclusão de alguns atletas na Seleção da Rodada da LNF. Tudo isso, somado ao fanatismo do torcedor beltronense, fazem do Cresol/Marreco um dos times que mais crescem no futsal brasileiro. A equipe beltronense já ultrapassou equipes que jogam a LNF há muitos anos, como Umuarama, Cascavel e Copagril, de Marechal Cândido Rondon. E o mais importante: todas as 8.293 curtidas da fanpage do Cresol/Marreco são orgânicas, ou seja, não são pagas. Isso é muito difícil de conseguir. E vale ressaltar que a equipe beltronense ainda tem mais dois jogos televisionados: dia 6 de junho em Florianópolis (SC) e dia 11 de junho, no Arrudão, contra o Concórdia (SC). Isso certamente vai trazer mais adeptos ao caçula da Liga Nacional.Por que isso é importante?
Talvez algumas pessoas possam achar que isso é bobagem, “pois o Facebook é inútil e blá, blá, blá”. Mas isso não é verdade, pois cada like representa uma economia aos cofres do clube na divulgação de jogos e ações de marketing. Para se ter uma ideia, a publicação do jogo de amanhã à noite, entre Cresol/Marreco e Guarapuava, já teve quase 43 mil visualizações na rede. Para impulsionar uma publicação com essa abrangência, seria necessário investir cerca de R$ 270. Sem contar o público que vai ter a mais no ginásio por causa de uma divulgação em rede social. Hoje em dia, são poucas as pessoas que não utilizam o Facebook. Essa ferramenta está se tornando quase que uma identidade virtual. Para uma equipe que quase nunca tem verba para investir em divulgação, está sendo uma experiência gratuita e muito positiva no momento.

Fonte: Adolfo Pegoraro