O treinador denuncia falta de condições para treinamentos, e carência de alimentação dos atletas na república, cobrando correções imediatas.

O dia de ontem foi de conversas de bastidores no Atlético de Paranavaí e sem treinamento dos jogadores. O motivo: falta de condições para trabalho, conforme disse pela manhã o técnico Fernando Alcântara. À tarde, houve reunião entre o técnico e os gestores do clube, da Empresa Ebenézer, para tratar dos problemas e das reivindicações.
A iniciativa de paralisar o treinamento foi do treinador Fernando Alcântara, descontente com algumas situações dentro do clube.
“Estamos conversando. Minha decisão tomada na reunião com os atletas no Estádio não muda. Para a coisa funcionar tem que ter comprometimento, ter responsabilidade, estamos ouvindo os diretores da Empresa para ver como as coisas poderão vir a funcionar da forma como foi falada em relação ao projeto Paranavaí”, afirmou o treinador após conversa com os gestores, ontem à tarde.
O treinador denuncia falta de condições para treinamentos, e carência de alimentação dos atletas na república, cobrando correções imediatas.
“É para as pessoas acordarem e verem que não está indo nada bem no clube. Vamos aguardar para ver exatamente quais serão as soluções de tudo isso”, disse o treinador, deixando no ar que pode deixar o Vermelhinho.
Fernando Alcântara não garantiu a volta dos treinamentos a partir de hoje. “Ainda não pensei sobre quarta-feira, tenho que pensar ainda na terça, não tem o amanhã sem hoje”.
O advogado Luiz Marcondes falou que o grupo gestor tenta dar uma melhor condição de trabalho à comissão técnica e atletas. “Houve uma reivindicação da comissão técnica para os atletas, de uma melhor condição. Estamos equacionando os problemas do passado e fazendo uma perspectiva de melhora futura. Temos certeza que iremos harmonizar esta questão em prol do time. O que deve ser feito não será em benefício da Empresa, ou de um setor, mas em prol do Paranavaí, que é um time de história e tradição e que merece o devido respeito”.
Ontem veio à tona o atraso no registro de atletas para defender o Vermelhinho, que estreia domingo no Paranaense da 2ª Divisão. O advogado Luiz Marcondes diz confiar que o time estará em campo. “Todo empenho será feito”.
Fonte: Jornal Diário do Noroeste