A equipe de Santo André cedeu ao elenco do Atlético Clube Paranavaí vários atletas. Entre eles está o jovem Damião, que em entrevista ao Diário do Noroeste frisou: “Estamos aqui de corpo e alma”, referindo-se à chance dada a eles de disputar, a partir do dia 11 deste mês, a segunda divisão do Campeonato Paranaense.
Mateus Forlevize Damião tem 20 anos, ficou por nove anos no São Paulo e a  um ano e meio no Santo André. É volante e também joga na lateral direita.
“Gosto de dar passes, trabalhar bem com bola curta ou longa, sou técnico e com boa visão de jogo. Essa será minha atividade profissional e espero não decepcionar a confiança dada” disse Damião. .
Com Damião vieram Pedro Vitor, Marcos Antônio, Guilherme e Silva.
“É importante mesclar juventude com experiência. O plantel está legal, vamos conseguir o objetivo que é subir o ACP para a primeira divisão. Temos que ter seriedade do início ao final da competição, temos que respeitar os adversários, mas em casa temos que sobressair nestes dois jogos que faremos como mandantes” analisou Damião.
Ele também argumentou que seria importante a realização de amistosos, mas como está difícil conseguir equipes para esses jogos, os treinos têm ajudado no entrosamento dos atletas.
A competição tem 10 equipes inscritas, sendo que oito se classificarão para a segunda fase. “Não tem nada de favoritismo, futebol é dentro de campo, temos nossos pontos positivos e deveremos explorá-los, mas nada de folgar” finalizou o volante.
DIRETOR-ADMINISTRATIVO – Luiz Rodolfo Pontes (Luizinho), 45 anos, que veio do Rio de Janeiro (estava em uma rede de hotéis) é formado em Hotelaria e Administração: é o novo diretor-administrativo do Atlético Clube Paranavaí.
“Estamos começando a organizar, queremos colocar algumas coisas em ordem, no intuito de profissionalizar a equipe. Em tese tem muitas coisas prontas, mas tem outras que não estão em operação. A ideia é fazer um balanço, assinalando algumas coisas e já preparando o terreno para iniciar de uma vez o trabalho” destacou Luizinho que jogou futebol aos 21 anos, mas sempre esteve nos meios esportivos.
“Percebo como o time é importante para a cidade. Minha vinda para cá foi pela estima e amizade com o Ramalho (diretor-executivo). Sei que ele não embarcaria em uma atividade ou desafio se não tivesse condições e vontade de fazer dar certo, já começo a ter um carinho e elo pelo Atlético Paranavaí”, concluiu o administrativo.

Fonte: Jornal Diário do Noroeste