Inicio ACP

Fundado em 1946, o Atlético Clube Paranavaí não existiria sem o empenho de Natal Francisco (Foto: Reprodução David Arioch)

ACP inicio II

Sapateiro foi o responsável pela construção do primeiro estádio do ACP (Foto: Reprodução David Arioch)

Ulisses Faria Bandeira

Ulisses Faria Bandeira, ex-prefeito era jogador do Atlético Clube Paranavaí (ACP) (Foto: Reprodução David Arioch)

O Atlético Clube de Paranavaí foi fundado no dia 14 de março de 1946 e desde então vem mantendo sua trajetória no futebol paranaense, tendo conquistado ao longo de sua existência três títulos da segunda divisão, um vice-campeonato da primeira divisão e o título de 2007. A origem da equipe foi com o nome de “Paranavaí Foot-Ball Club”.

            De acordo com Vicente Filho (2005), o Atlético Clube de Paranavaí, também chamado carinhosamente por ACP ou vermelhinho, é um dos mais antigos do Paraná, fundado por dois irmãos que vieram de Presidente Prudente, Natal Francisco e Jose Francisco, sendo que a cidade estava começando, não era município e ainda se chamava Fazenda Brasileira.

            Os fundadores para Padilha Alonso (2005) foram: Natal Francisco, Ulisses Faria Bandeira, Antonio Francisco, Osvaldo Francisco, Luis Ortega Moura, Roberto Ortega Moura, Mario Sperandio, Anésio Fracarolli, Carlos Faber Filho, Irmãos Diamante, Eloi Machado, Carlos Faber, Salvador Marinho, Montanha, Rubens Machado, Sergio Fracarolli, Flavio Giovine, Otacílio Egger, e Geraldo Felippe.images (28)

            Segundo alguns registros de jornais da época a primeira diretoria ficou assim composta: Presidente de Honra: Antonio Rolaiser Lacerda, Presidente: Otacílio Egger, Vice: Hermeto Botelho, 1° Secretário: Vivaldo de Oliveira, 2° Secretário: Sebastião de Oliveira, 1° Tesoureiro: José Antonio de Oliveira, 2° Tesoureiro: Durvalino Moreira, 1° Diretor de Esportes: Natal Francisco, 2° Diretor de Esportes: Andrelino Azanha Rocha.

            Durante algum tempo o Atlético Clube de Paranavaí disputou apenas competições amadoras, e a partir dos anos 60 a equipe passou a participar de campeonatos profissionais conquistando dois títulos da segunda divisão (1967 e 1983), o da Intermediaria em (1992), o vice-campeonato da primeira divisão (2003) e o título também da primeira divisão em 2007.

images (26)

           ACP – 1983 (Foto: Reprodução)

            No início, as competições eram disputadas em divisões por regiões: Norte, Sul, e Norte Pioneiro. Na região norte do Paraná as equipes eram Londrina, Arapongas, Apucarana, Nacional de Rolândia, Cambé, Mandaguari, Comercial de Cornélio Procópio e Atlético Clube de Paranavaí.

             O norte pioneiro tinha as equipes da Cambaraense, Esportiva de Jacarezinho, Pindorama de Siqueira Campos, Andiraense, Platinense, e Ribeirão Claro. Já a região sul tinha o trio de ferro da capital (Coritiba, Atlético e Ferroviário) e ainda o Operário de Ponta Grossa, Guarany de Ponta Grossa, Seleto, Rio Branco de Paranaguá, Britania, Água Verde e Primavera de Curitiba.

images (22)

ACP – 1992 (Foto: Reprodução)

            O Atlético Clube de Paranavaí pode se orgulhar de ao longo desses quase 70 anos de existência não ter perdido sua tradição de nome e a cor vermelha do uniforme, que o caracterizou como o “vermelhinho do fim da linha”.

images (6)

ACP – 2003 (Foto: Reprodução)

            Outro motivo de orgulho para o município, além das conquistas, são os jogadores que aqui nasceram ou iniciaram suas carreiras e seguiram brilhando pelo Brasil e  mundo afora. Como exemplos podemos citar Ranulfo que jogou no São Paulo Futebol Clube, chegando a ser convocado para a Seleção Brasileira de 50, Noriva que jogou no Santos, Viraci no Juventus, Ferreira e Cocan no América do Rio, Didi na Portuguesa de Desportos, Sorley campeão carioca pelo Fluminense atuou também no São Paulo, Guarani e foi convocado para a Seleção Brasileira, mais recentemente o jogador Miranda da Inter de Milão e capitão da Seleção Brasileira, além de Diogo Silvestre, lateral esquerdo do Penãrol do Uruguai, Zeca no Santos e Seleção Brasileira sub-23, Vanderlei campeão pelo ACP em 2007, atuou por diversos anos no Coritiba e atualmente goleiro titular do Santos.

ACP 2007

ACP – 2007 (Foto: Reprodução)

            O Atlético Clube de Paranavaí já teve até estádio próprio, denominado “Natal Francisco”, entretanto perdeu seu patrimônio por dívidas junto a previdência. Como a prefeitura assumiu o debito, acabou ficando com o estádio, que foi demolido para a construção da Praça dos Pioneiros. A partir daí o ACP passou a mandar seus jogos no Estádio Alfredo Ferrari (Natal Francisco), distrito do Sumaré, um local improvisado (VICENTE FILHO, 2005 pg 67).

            Alguns dos dirigentes que marcaram época na frente do Atlético Clube de Paranavaí: Geraldo Felippe, Waldemiro Wagner, Claudino Dal Pra, Hermeto Botelho, Efraim Machado, Francisco Alves de Oliveira, Joaquim Castela, Darci Cavazin, Antonio Vasconcelos, Euclides Barnett, Jose Vaz de Carvalho, Antonio Plácido Vendramin “Nico”, Luiz Tadeu Fernandes “Notti”, Antonio Figueiredo de Oliveira “Chiquita”, Lourival Furquim, Edson Felipe “Salomão”, Odair Pereira, Valdir Niehus, Jose Anchieta, Paulo Felippe, Heli Antonio, César Borim, Nivaldo Mazzin e outros.

images (27)

(Foto: Reprodução)

            Alguns fatos curiosos aconteceram com o Atlético Clube de Paranavaí ao longo desses anos como viajar de caminhão, muitas vezes tendo que empurra-lo por problemas mecânicos ou por causa da situação precárias das estradas da época, mas sempre acompanhados pela sua diretoria e pela bandinha chamada “Furiosa” que animava a torcida.

O Clube é mais antigo que a própria cidade:

 

images (24)

(Foto: Reprodução)

A história da colonização da região onde se situa hoje o município de Paranavaí e a própria cidade. A demarcação da cidade foi iniciada em 13 de julho de 1941, quando havia uma vila, pois desde 1929 já fora criado o Distrito Judiciário de Montoya. Em 1942 as ruas já estavam demarcadas e a cidade projetada crescia. O numero de habitantes já comportava um time de futebol amador, criado oficialmente em 14 de março de 1946 com o nome de Gleba, ou seja, Paranavaí Foot-Ball Club. O município, porém, só foi criado em 1952.

ACP II

(Foto: Reprodução)

Ulisses Faria Bandeira, que ajudou a demarcar a cidade, mudou-se de Londrina para a Fazenda Brasileira em 1944 e foi um dos primeiros jogadores. A Fazenda Brasileira já fazia parte da Gleba Paranavaí, nome adotado pela junção dos nomes dos rios Paraná, Paranapanema e Ivaí, porque as terras se localizavam na região entre esses rios.

Com o encaminhamento da divisão territorial do Norte do Paraná e a criação de novos municípios, as lideranças locais optaram por dar ao novo Distrito de Mandaguari o nome de Paranavaí, pois entendiam que Fazenda Brasileira só trazia tristes memórias dos primórdios da colonização.

Em 16 de junho de 1947 o nome da cidade de Fazenda Brasileira ou Gleba Paranavaí foi adotado definitivamente como Paranavaí e eleito o primeiro vereador, Otacílio Egger, que representava o Distrito no município de Mandaguari, oficialmente instalado em 11 de outubro de 1947. (Diário do Noroeste, Domingo 14 de março de 2010, pg 13)download

 

O uniforme do ACP nem sempre foi vermelho como é atualmente:

Para festejar a nova fase da cidade que surgia e se firmava no contexto político-administrativo estadual e por influencia da família Bandeira, que tinha amizade com dirigentes do América Futebol Clube do Rio de Janeiro, uma equipe de aspirantes daquele clube foi convidada e veio a Paranavaí.

O uniforme do time local era branco com uma lista em diagonal preta na camisa, como a do Vasco da Gama. Mas, por “gentileza”os dirigentes locais resolveram atuar contra o América com um novo uniforme, com camisa branca e três listas azuis na vertical em cada lado, com o centro branco.download (1)

Logo depois desse amistoso, por sugestão de Ulisses Faria Bandeira (que veio a ser o segundo prefeito de Paranavaí, entre 1956 e 1960) foi adotado o nome de Atlético Clube de Paranavaí e o uniforme como o do América do Rio, totalmente vermelho, e adotado também o escudo igual ao do time carioca.(Diário do Noroeste, Domingo 14 de março de 2010, pg 13)

GALERIA DOS PRESIDENTES:

Otavio Egger, Geraldo Felipe, Waldemiro Wagner, Claudino Dal Prá, Francisco Alves de Oliveira, Antonio Vasconcelos “Vasco”, Manoel Kichner, Valdir Niehues, Joaquim Castela, Ephraim Machado, Hermeto Botelho, Euclides Barnet, Odair Pereira, Jose Vaz de Carvalho, César Francisco Borin, Antonio Plácido Vendramin “Nico”, Luiz Tadeu Fernandes “Notti”, Antonio Carlos Dato, Antonio Figueiredo de Oliveira “Chiquita”, Lourival Furquin, Jose Anchieta Moraes, Edson Felipe  “Salomão”, Nivaldo Aparecido Mazzin, Luiz Sergio de Oliveira.

EQUIPES

1949

             ACP – Natal Francisco, Ulisses Faria Bandeira, Antonio Francisco, Osvaldo Francisco, Luiz, Roberto Ortega Moura, Mario Sperandio, Anesio Fracarolli, Heins Jacobsen, Sergio Fracarolli, Carlos Faber Filho, e Diamante.

1949

A terceira mais antiga formação do Atlético Clube Paranavaí, em 1949, quando ainda não era time profissional. Pela ordem, da esquerda para a direita, com a ajuda dos ex-jogadores do time, Lauro Machado e Carlos (Polaco) Pombalino, identificamos a formação com Paulo, Dile, Salvador Marinho, Berola de Soto, Godê, Tonico, Argeu, Tilica, Nilson Paulino, Sérgio Fracarolli (Foto: Arquivo DN)

1950

ACP – Eloi Machado, Carlos Faber, Montanha, Salvador Marinho, Rubens Machado, Anésio Fracarolli, Flavio Mecânico, Natal Francisco, Ulisses Faria Bandeira, Sergio Fracarolli, Osvaldo Francisco, Paraguaio e Neno. O ACP ainda contratou nesse ano Sosa, Rubens Gimenez, Escobar, Martinez e Chulipa, O técnico era Ferreira.

1952

ACP – Flavio Giovine, Polaco, Dile Alfaiate, Flavio Mecânico, Nilsinho, Otacílio Egger, Jairo, Nino Bergamini, Osvaldinho, Neco, Tonico, Rodrigues, Cícero, Garcia, Carlos e Jamil, Godê (Roupeiro), Ferreira (Técnico), Jamil (Massagista), Geraldo Felippe (Presidente).

1953

ACP – Carlos, Otacílio, Nelson Polaco, Tuturuchio, Balaco, Flavio Mecânico, Rodrigo, Cícero, Nino Bergamini, Nilson Paulino, Antonio Francisco, e Coca.

1959

ACP – Décio, Carioca, Espanhol, Aiala, Osmar, Edson Felipe “Salomão”, Leo, Martinez, Lauro Machado, Cido, Toninho.

ACP (Amador) – Nino, Baianinho, Darci, Helinho Bararuba, João Dureza, Izidoro, Bob Milton, Valmir, João Basílio, Voeli, Rubinho.

Fonte: Interior Bom de Bola (Padilha Alonso, 2005) e Diário do Noroeste (Domingo 14 de março de 2010, pg 13)